Relatório: Chega de Fiu Fiu - O Filme

by Think Olga

Para comemorar um ano (e três meses) do lançamento do documentário Chega de Fiu Fiu e compartilhar nossa jornada desde então, vamos relembrar nossa campanha de combate ao assédio sexual em espaços públicos - que nasceu em julho de 2013 - e discutir seu impacto social?

"Todos os dias, mulheres são obrigadas a lidar com comentários de teor obsceno, olhares, intimidações, toques indesejados e importunações de teor sexual afins que se apresentam de várias formas e são entendidas pelo senso comum como elogios, brincadeiras ou características imutáveis da vida em sociedade (o famoso “é assim mesmo…”) quando, na verdade, nada disso é normal ou aceitável." [Chega de Fiu Fiu]

Em agosto de 2013, depois de lançarmos uma série de ilustrações de repúdio a esses tipos de situações, publicamos o resultado de um estudo online da jornalista Karin Hueck, que ouviu 7762  mulheres pra entender o que elas pensavam sobre as cantadas de rua e os resultados foram avassaladores:

  • 99,6% das mulheres já foram assediadas;
  • 90% das mulheres já trocaram de roupa antes de sair de casa por medo do assédio;
  • 83% das mulheres não achavam cantada uma coisa legal;
  • 81% das mulheres já deixaram de fazer alguma coisa por medo do assédio.

Quando divulgamos esses dados, recebemos manifestações de mais mulheres que se identificaram com as situações, de homens surpresos - descobrimos uma sociedade que sequer sabia o que era assédio - e também de ódio de homens revoltados com a campanha. O alcance social havia sido ampliado.

Demos então o passo seguinte da campanha: a criação do Mapa Chega de Fiu Fiu, uma ferramenta colaborativa para identificar os locais de assédio e, com isso, auxiliar na construção de soluções e políticas públicas para tornar as cidades mais seguras para as mulheres.

Com esse trabalho, nos tornamos uma das vozes mais importantes contra o assédio no Brasil, a Campanha Chega de Fiu Fiu se tornou uma ferramenta de educação e transformação social e, quando lançamos o crowdfunding para aprofundar essa discussão através do documentário Chega de Fiu Fiu, 1219 pessoas apoiaram o financiamento do filme e nossa meta foi atingida em menos de 24 horas. Em 16 de janeiro de 2015, ele foi financiado.

O longa-metragem trata da participação das mulheres nos espaços públicos, marcada por uma série de violências, em especial o assédio sexual, e examina como campanhas e outras dinâmicas criadas por ativistas e movimentos feministas no período de 2014 a 2017 têm modificado relações de poder entre homens e mulheres nas ruas e na internet. 

Através das histórias de RosaRaquel e Teresa, mulheres em contextos sociais e geográficos diferentes, o filme - que foi lançado em 15 de maio de 2018 - mostra que o corpo da mulher é violado e não tem o direito de existir livremente na rua sem a possibilidade de uma violência.

Em um ano, o documentário Chega de Fiu Fiu já foi visto por mais de11.600 espectadores. Destes, 10.180 em circuito não comercial, ao longo de 232 sessões realizadas por meio de difusão social gratuita.

No Brasil, o filme foi visto por pessoas em 159 municípios de 23 UFs. Além disso, foi exibido também na Alemanha, Espanha, Estados Unidos, França, Inglaterra, México, Moçambique e Portugal. Participamos de 16 festivais no Brasil e no mundo.

Na sua maioria, as sessões foram realizadas por universidades (23%). Em seguida, destacam-se os coletivos (14%) e escolas (12%). Além disso, o documentário foi exibido também através de ações de organizações sociaiscineclubes e espaços de trabalho eempresas.

Confira abaixo o relatório com os dados completos do filme:

O documentário continua disponível gratuitamente para exibições coletivas. Basta acessar a plataforma www.taturanamobi.com.br, fazer seu cadastro, inserir as informações da exibição, baixar os materiais de divulgação, caprichar na divulgação e, em pouco dias, receber o acesso ao filme. 

Vamos seguir juntas nessa jornada em busca de cidades mais seguras para as mulheres?